Exercício Com Charge Em Inglês (armando professores)

Exercício Com Charge Em Inglês é o tema do novo artigo do blog inglês no teclado. Outro dia postei uma interpretação de charge em forma de exercício que tratava de tema correlato ao de hoje. Se você quiser checar é só [clicar aqui]. Como percebi que muitos professores gostam de utilizar essa técnica de ensino/aprendizado e vira-e-mexe nos solicitam conteúdos dessa linha, decidi disponibilizar um novo exercício que poderá ser utilizado em sala de aula, livros, textos, processos seletivos, enfim. Bastar dar o devido crédito ao blog inglês no teclado, combinado? Mesmo que você decidi utilizar a imagem do cartonista, indique a fonte do blog inglês no teclado em conjunto.

É importante que alunos / estudantes de inglês conheçam o nosso trabalho para ajudá-los no estudo da língua inglesa. Como sempre digo por aqui, escolas de inglês e cursos de inglês online são importantes, mas blogs de inglês também.

Exercício Com Charge Em Inglês

O uso de armas por professores, em sala de aula, tem sido, ultimamente, muito cogitado por setores da população. Nos Estados Unidos e no Brasil, essa bandeira foi levantada inclusive por políticos que enxergam, na medida, uma forma de impedir ataques contra estudantes. É o caso do tiroteio na escola em Suzano (São Paulo). Além disso, argumenta-se que a ação surtiria efeito na coibição de agressões a professores e demais membros de uma escola.

Charge em inglês

Vamos, então, aos exercícios? Não esquece de conferir as respostas ao final e pedir esclarecimentos caso você apresente alguma dúvida, combinado? Good luck!

1 – Com base na charge apresentada, marque a alternativa correta:

a) A charge possui seis verbos distintos.

b) A charge possui cinco verbos distintos.

c) A charge não apresenta contrações verbais.

d) A frase “whose idea was it to arm teachers?” não pode ser rescrita como  “who idea was it to arm teachers?

 

2 – Com base na charge apresentada, marque a alternativa correta:

a) A combinação de palavras I’m going to possui sentido diverso do de I’m gonna.

b) O verbo ask, utilizado pela professora no primeiro balão, vincula o sentido de perguntar.

c) A palavra it, presente na fala da aluna no segundo balão, faz alusão à ideia de armar professores.

d) Em Be quiet, o verbo ser / estar, do inglês, está em sua forma infinitiva.

 

3 –  A respeito da charge acima, é correto afirmar que:

a) O advérbio nicely, utilizado pela professora no primeiro balão, vincula o sentido de “gentilmente”.

b) Em inglês, não é cabível grafar all right em vez de alright.

c) Na lousa, há um recado de que o dever de casa foi postergado para o dia seguinte.

d) A professora alerta que apenas repetirá o seu aviso uma única vez.

 

4 – A respeito da charge acima, é correto afirmar que: 

a) A aluna sabe de quem foi a ideia de armar professores.

b) O aluno sabe de quem foi a ideia de armar professores.

c) Apesar do uso da palavra please em sua fala, a professora intimida os alunos por meio da palavra again.

d) A palavra class poderia ser substituída por classroom.

 

GABARITO

1 – Os verbos da charge são: be, am, going, ask, wasarm. Assim, há quatro verbos distintos, uma vez que be, am e was são o mesmo verbo conjugado de formas diferentes. Já explicamos sobre esse verbo [nesse texto, clique]. Assim, a letra ‘a’ está incorreta assim como a letra ‘b’. Na charge, encontramos a contração I’m (I am). Logo, a letra ‘c’ não pode ser a resposta. Ficamos, então, apenas com a letra ‘d’ que está correta ao asseverar que não podemos substituir whose por who. Cada uma dessas palavras possui uma função específica no inglês como vimos [nesse artigo, clique]. Dessa forma, a resposta é mesmo a aletra ‘d’.

2 – A letra ‘a’ está incorreta como já aprendemos [nesse artigo, clique]. Se trata de um exemplo clássico de redução vocálica da língua inglesa (possui o mesmo sentido, mas por relaxamento vocálico, o grupo de palavras mencionado é pronunciado como I’m gonna). O verbo ask vincula diversos sentidos, sendo um deles perguntar. No entanto, na charge apresentada, ele está sendo usado com o sentido de pedir ou solicitar. Aprenda mais sobre esse tópico [clicando aqui]. Assim, a letra ‘b’ está incorreta. A alternativa ‘c’ está correta, visto que esse é um dos usos desse pronome pessoal, fazer alusão a algo já mencionado (idea = ideia). O verbo be usado pela professora não está no formato infinitivo (o formato infinitivo seria to be)

3 – A alternativa ‘a’ está correta – gentilmente ou “numa boa” seriam alternativas de tradução cabíveis. Já a letra ‘b’ está errada, pois ambas as formas all right e alright são aceitáveis em inglês. O recado da lousa indica que o dever de casa é para o dia seguinte. Aprenda sobre a palavra due [clicando aqui]. Assim, a letra ‘c’ está equivocada. A professora alerta que não repetirá o aviso (nem mesmo uma vez). Assim, a letra ‘d’ está errada.

4 – A alternativa ‘a’ está incorreta, pois a aluna faz a pergunta para o colega, justamente para descobrir de quem partiu a ideia. Ela faz uso da palavra whose. A alternativa ‘b’ afirma algo que não se pode concluir. A alternativa ‘c’ está correta. Isso porque, embora a professora tenha vinculado o sentido de ‘por favor’ por meio da palavra please, na sequência, ela diz que não pedirá novamente (again) – o que, evidentemente, se trata de uma intimidação. Ademais, a palavra class não poderia ser substituída por classroom (que se refere ao espaço físico em função do sufixo). A professora conversa com as pessoas que são tratadas como classe (conjunto de pessoas, nesse caso alunos, que têm a mesma função – estudar). Aprenda mais sobre prefixos e sufixos [clicando aqui].

Gostou das dicas? Ficou com alguma dúvida? É só perguntar. Nosso time faz questão de responder todos os nossos leitores. Caso você tenha interesse em utilizar esse exercício de alguma forma produtiva, fique à vontade. Basta citar a fonte, combinado? Não vá embora sem antes curtira nossa página no Facebook. Isso é muito importante para divulgarmos o nosso trabalho. Ajuda a gente, é rapidinho!  😉

Curtir página do Facebook

Download PDF

Comentários

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta