Contração do Have: Quando posso (devo) contrair o Have?

A contração do have, ainda gera  muita dúvida entre estudantes de inglês. Quando posso contrair o Have? Quando devo contrair o Has? Você sabe?

#Não contraímos o verbo principal have

Nas frases abaixo, aponto exemplos em que lançamos mão do verbo principal have (com o sentido de ter, possui, deter algo).

Ex: Donald Trump doesn’t have a dog or a sense of humor.

[Donald Trump não possui um cão ou senso de humor]

Ex: She has a lot to share with the next generation of designers

[ela tem muito o que compartilhar com a próxima geração de designers]

Ex: I have no cancer.

[não tenho câncer]

Você não diz em inglês: I’ve a dog para ‘eu tenho um cão’. A forma contraída do verbo have diz respeito ao uso dele exercendo a função de verbo auxiliar e não na atribuição de verbo principal. Quando dizemos em inglês I have a dog (eu tenho um cão) – aqui o verbo have está sendo empregado como verbo principal, logo, como dito, não comporta a contração.

Podemos (facultativamente) contrair o verbo auxiliar have

Diferentemente seria se o verbo have estivesse exercendo o papel de verbo auxiliar, como nos exemplos a seguir:

Exemplo se contraçãoMesmo exemplo com contraçãoTradução
I have tried so hardI’ve tried so hardEu tentei tanto
I have never had any doubts I’ve never had any doubtsNunca tive qualquer dúvida

Um detalhe importante é que não existe a obrigatoriedade de contrações em inglês salvo alguns raríssimo casos convencionados como eu já expliquei [nesse caso, clique].  Se você estiver se perguntando como descobrir se um verbo é principal ou auxiliar, recomendo que confira [essa dica, clique]. É fundamental que você saiba distinguir um verbo auxiliar de um verbo principal na língua inglesa, sem isso você não é ninguém (sem exageros).

Acho que com essa breve dica você já deve ter entendido sobre quando contraímos ou não o verbo have em inglês. Se mesmo após ler esse artigo você tenha ficado com alguma dúvida, deixe uma mensagem abaixo. Faço questão de responder todos os nossos leitores – inclusive aqueles que estão apenas de passagem.

Download PDF

Comentários

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta