NATIVOS DO INGLÊS E A MUDANÇA DE SOTAQUE

Outro dia, falamos aqui no blog e em nosso canal no Youtube sobre a pronúncia do brasileiro falando inglês. Caso você ainda não tenha visto esse vídeo, sugiro que o faça [clicando aqui]. De qualquer forma, no artigo de hoje, vamos falar um pouco sobre a mudança de sotaque do inglês entre nativos da língua inglesa.

Nesse novo artigo do blog inglês no teclado, portanto, daremos sequência ao estudo do inglês com músicas.

NATIVOS DO INGLÊS E A MUDANÇA DE SOTAQUE

Não sei se você já percebeu, mas quando nativos da língua inglesa cantam, não raro o sotaque deles some ou é invertido (como se constatássemos um americano com sotaque britânico). Esse comentário pode soar estranho, mas, de fato, isso ocorre. Para ser sincero, ouvir um americano soar como britânico, em certas palavras, não é raro. Basta observar o sotaque, por exemplo, do político norte-americano Bernie Sanders. Inclusive, foi feita uma análise detida sobre esse aspecto que menciono. Quer saber mais a respeito? Dá play no vídeo abaixo:

Mas voltando à questão do canto, um exemplo que ilustra isso de forma precisa é a canção Shake It Off da cantora Taylor Swift.  Foque no intervalo 1:38 e observe como ela pronuncia a palavra body. Há uma clara opção por não soar a letra d como um americano faria (e como expliquei nesse texto —-> clique aqui).

Outro exemplo interessante, é a forma como o cantor Jonathan Davis da banda Korn (da Califórnia) e o vocalista britânico da banda The cure  pronunciam a palavra disappear no intervalo 02:42.  Pode ser uma influência do britânico junto ao americano, mas, ainda assim, cabe destacar a forma como o americano negligencia o r retroflexo característico do inglês americano.

Dá o play!

Uma matéria interessante publicada na página da News Nation Bureau, busca explicar a razão de nativos da língua inglesa passarem por esse processo de “perda temporária da sua identidade” ou metamorfose sonora. Nela foi levantado o feito o seguinte questionamento: por que os “cantores britânicos” como Ed Sheeran e Adele perdem o sotaque ao cantar? A justificativa apresentada pela matéria foi:

“A razão mais óbvia tem a ver com a fonética, o ritmo em que cantam e falam e a pressão do ar nas cordas vocais. A razão por trás dessa mudança automática para o sotaque “americano” e não para algum outro sotaque, é simplesmente porque o sotaque “americano” genérico é bastante neutro.

De acordo com o lingüista e autor David Crystal, a melodia de uma música cancela as entonações da fala, seguida pela batida da música cancelando o ritmo da fala. Quando isso acontece, os cantores são forçados a enfatizar as sílabas à medida que são acentuadas na música, o que força os cantores a alongar suas vogais. Em termos mais simples, é o ritmo da música que afeta o ritmo de entrega do cantor. O sotaque de uma pessoa é facilmente detectável quando ela está falando em velocidade normal. Ao cantar, o ritmo costuma ser mais lento. As palavras são arrastadas e pronunciadas com mais força, e o sotaque se torna mais neutro.

No entanto, isso não quer dizer que todos os cantores com todos os seus sotaques cantem em “americano”. Podemos dar o exemplo da banda britânica, 1975, Arctic Monkeys, Sex Pistols, etc, que você pode dizer claramente que são britânicos. O mesmo vale para os próprios cantores country americanos, como Johnny Cash, Dolly Parton, que até canta com seu sotaque do leste do Tennessee.

Por último, mas não menos importante, vale a pena ter em mente que o inglês americano não é a forma mais natural, sem sotaque; é por isso que o idioma é chamado de “inglês” e não “americano”. O que significa que os cantores não mudam para o sotaque americano, é uma gama específica de sotaque que se adapta ao estilo de música”.

E você? Já tinha percebido esse fenômeno fonético entre cantores? Deixe o seu comentário abaixo para que saibamos a sua opinião!

Download PDF

Comentários

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta